Ouça a Rádio

Tempo de Espera: Nosso coração em espera da luz que vai nascer.

Você está em - Home - Notícias - Tempo de Espera: Nosso coração em espera da luz que vai nascer.
 
Dom Vital Corbellini*
 
São Gregório de Nazianzo(330-390), bispo, Padre da Igreja, viveu no século quarto. Foi amigo de São Basílio, o grande, e de seu irmão São Gregório de Nissa. Ele é considerado o bispo teólogo que elaborou diversos discursos teológicos em defesa da divindade do Verbo de Deus diante da heresias ariana e também defendeu a divindade do Espírito Santo diante dos pneumatômacos, negadores da divindade do Espírito. Ele coordenou praticamente o Concílio de Constantinopla em 381 que defendeu a divindade do Espírito de Deus. Ele colocou o sentido do advento para o seu povo servindo de iluminação também para todos nós. O advento é o tempo de preparação para a vinda de Jesus Cristo no meio de nós. Vejamos alguns pontos importantes para as nossas reflexões no tempo do advento.
 
1. A eternidade do Filho de Deus
 
Para ter presente a vinda do Verbo de Deus na carne, Gregório fala antes de sua condição divina. No discurso teológico de número 45, bastante extenso, coloca a eternidade do Filho de Deus, caracterizando-o como o invisível, o incompreensível, incorpóreo, assim como as Pessoas do Pai e do Espírito Santo. Ele afirma que o Filho de Deus é luz nascida da luz, fonte da vida e da imortalidade, na qual não há morte nele mas só a vida verdadeira. Sendo a Palavra e o pensamento do Pai vem ao encontro da sua criatura, o ser humano, (o homem e a mulher), para se fazer também humano, pessoa igual a nós em tudo, assumindo tudo o que é humano, menos o pecado. Ele foi concebido por uma Virgem, Maria, santificada no corpo e na alma por obra do Espírito Santo honrando desta forma a maternidade e a virgindade. Ele assumiu a humanidade na sua integridade sem jamais de ser Deus, unindo dessa forma duas realidades contrárias na única Pessoa dele: a carne, e o espírito.
 
2. O valor da encarnação 
 
Gregório ressalta a importância do advento como tempo de meditação sobre o mistério que celebraremos logo mais, o nascimento do Filho de Deus na realidade visível. Ao assumir a humanidade, enriqueceu os outros, e Ele mesmo tornou-se pobre. Aceitou a pobreza de nossa condição humana para que nós recebêssemos os tesouros de sua divindade. Ele sendo possuidor da plenitude, despojou-se de si mesmo, por algum tempo, para que o ser humano participasse de sua plenitude. Uma vez que o ser humano recebeu como graça a imagem divina em seu ser, não soube conservá-la porque pecou ao afastar-se de Deus. Dessa forma assumiu o Filho de Deus a encarnação para restaurar a perfeição dessa imagem no ser humano e dar-lhe a graça da imortalidade. 
 
3. Uma nova aliança
 
O Filho de Deus estabeleceu com a sua vinda uma aliança muito mais admirável que a primeira dando-lhes à condição mortal ao ser humano, o dom de não morrer mais, a imortalidade, condição própria dele. Ele deu a santidade ao homem mediante a humanidade assumida pelo Filho de Deus. Dessa forma meditamos no advento a sua chegada no meio de nós com alegria e com amor no coração. Ele deu para nós a liberdade que o tirano, Satanás, subjugava a toda a pessoa, reconduzindo-a à vida verdadeira em Deus. O Mediador, o Filho de Deus na carne, realizou esta obra redentora para a glória do Pai em unidade com o Espírito Santo. 
 
4. O Bom Pastor
 
A encarnação é exaltação de Jesus como o Pastor dos Pastores. Ele é o Bom Pastor que dá a vida pelas suas ovelhas, de modo que veio ao encontro da ovelha perdida, (o ser humano) e tendo-a encontrada, colocou-a sobre os seus ombros para reconduzi-la à vida definitiva, a eterna. 
 
5. O Precursor
 
No advento meditamos também a missão de João Batista, o Precursor.Ele veio preparar os caminhos do Senhor Jesus. São Gregório de Nazianzo falou dele como tênue lâmpada que iluminou as pessoas diante da luz verdadeira, Jesus Cristo. Após a sua luz, veio a Luz claríssima de Cristo. Veio depois da voz, (João Batista), a Palavra, do amigo do esposo, o Esposo, Jesus. O Messias, o Senhor Jesus Cristo veio depois daquele que preparou um povo perfeito, para que através da água purificadora, recebessem por meio de Jesus, o batismo no Espírito Santo. 
 
Conclusão
 
São Gregório de Nazianzo tem presentes nesse discurso teológico além de outros pontos, o advento, o tempo preparatório ao Natal, onascimento de Jesus Cristo na realidade humana. É a vinda das vindas, a desejada pela humanidade inteira, a alegre notícia de Deus que vive a nossa realidade, igual em nós em tudo, menos o pecado. O Advento é um tempo especial, na qual queremos viver os valores da paz, do amor a Deus, ao próximo como a nós mesmos. Preparemo-nos bem para receber o Senhor Jesus em nossos corações, comunidades, pastorais, movimentos, paróquias, dioceses, sociedade, para que vivamos a alegria da presença do Salvador da humanidade e que é também o nosso Salvador, Jesus Cristo.
 
 
*Fez Mestrado e doutorado em Roma pelo Institutum Patristicum Augustinianum, Pontifícia Universidade Lateranense, também fez o pós doutorado em História da Igreja Antiga na Pontifícia Universidade Gregoriana. É bispo de Marabá, no Pará.

NEWSLETTER

INFORME SEU E-MAIL PARA RECEBER AS NOVIDADES DO NOSSO SITE

HORÁRIOS

Seg, Qui, Sex E Sab

Missas às 19h00.

Terça-Feira

Missas às 05h30, 06h30 e 17h30.
Novenas de 06h00 às 21h00.

Domingo

Missas às
07h00, 08h30, 17h30 e 19h00.

Tv Nazaré

Ao Vivo às 15h00.

Tv Marajoara

Gravado às 19h00.

Rádio Web "O Redentor"

Novenas ao Vivo das 06h00 às 21h00.
Missa de Domingo às 07h00.

Rádio Nazaré

Novena ao Vivo às 18h00.

Outras Emissoras

Novenas:
Transmissão às 12h00, 18h00
e às 19h00.