Ouça a Rádio

Cantar e celebrar o mistério da Páscoa do Senhor (Tríduo Pascal)

Você está em - Home - Notícias - Cantar e celebrar o mistério da Páscoa do Senhor (Tríduo Pascal)

No contexto celebrativo da Semana Santa temos o Tríduo Pascal. A Instrução Geral sobre o Missal Romano (IGMR, p. 110) ensina: "Como o Cristo realizou a obra da redenção humana e da perfeita glorificação de Deus, principalmente pelo seu Mistério Pascal, quando, morrendo, destruiu a nossa morte e, ressuscitando, renovou a vida, o sagrado Tríduo Pascal da Paixão e Ressurreição do Senhor resplandece como o ápice de todo o ano litúrgico. Portanto, a solenidade da Páscoa goza no ano litúrgico a mesma culminância do domingo em relação à semana".

Neste contexto, é indispensável a participação do povo: gestos corporais, símbolos e imagens, sobretudo o canto, devido à solenidade desses dias, porque os textos bíblicos e litúrgicos, densos e profundos, adquirem maior força quando são cantados.

Na Quinta-Feira Santa celebramos dois momentos significativos. As Dioceses, na parte da manhã ou em outro momento e dia oportunos durante a Semana Santa, realizam a Missa da Unidade (Santos Óleos) quando recordamos o sacerdócio ministerial e agradecemos a vida e a missão de nossos presbíteros. E, com um tom de alegria, ao cair da tarde celebramos a Ceia do Senhor - o Amor maior (Mandamento Novo e Paixão de Jesus), o Lava-Pés (Serviço) e a Eucaristia, que sempre nos dá lições de partilha, pois nela o Cristo se dá a nós como alimento. Nesta celebração canta-se o Glória, pode-se dar destaque à procissão dos dons (Pão e Vinho) e preparar um espaço celebrativo bem bonito! No encerramento da missa acontece o translado do Santíssimo, para um local preparado à Vigília Eucarística, cantando o "Tão Sublime Sacramento". Lembramos ainda, o desnudamento do altar e a saída do povo em silêncio.

A celebração da Sexta-Feira Santa é centralizada na Cruz. Santo Afonso Maria de Ligório (fundador dos Missionários Redentoristas), ao contemplar o mistério da cruz, não exalta o sofrimento, mas, mostra o amor apaixonante de Deus. São três os sentimentos que brotam de nosso coração: gratidão, compromisso e seguimento. É dia de proclamarmos a Paixão do Senhor, que ouvimos na Liturgia da Palavra e fazemos preces por toda a humanidade. É dia de silêncio, do pesar, de jejum, da sobriedade que se manifesta na celebração, iniciada sem o canto.

No Sábado Santo, como nos diz a Ir. Penha Carpanedo, é o dia de "viver a ausência do amado", sendo assim, dia de recolhimento, meditação e permanência da Igreja junto ao sepulcro, à espera da Ressurreição do Senhor. O período da noite é o tempo da solene Vigília Pascal, que, nas palavras de Santo Agostinho, "é a mãe de todas as vigílias". Ela está estruturada teologicamente como: Memória (acontecimentos passados) que retomamos na rica Liturgia da Palavra, percorrendo a História da Salvação; como Presença (o Senhor está presente) no Círio Pascal aceso no fogo novo, a Luz de Cristo apresentada e a proclamação jubilosa da feliz noite no Exultat; como Expectativa (o mundo novo que deve surgir) pela renovação das promessas batismais e na solene Eucaristia, que faz acontecer a memória da Páscoa de Jesus embalada de Aleluias, de cantos festivos, do "Glória", de alegres aclamações e vivas!

Domingo da Ressurreição é a Páscoa do Senhor. Páscoa é "Deus que passa" - (Ex. 12 e Dt. 16). Deus é o nosso parceiro! Em seu Filho Jesus, temos o Redentor que nos liberta e promove a vida! Neste domingo elevamos hinos ao Cristo Ressuscitado, como por exemplo, na Sequência logo após a segunda leitura, durante a Liturgia da Palavra. Nosso canto no Tempo da Páscoa expressa a vida que se renova no Amor:."meu coração me diz: o Amor me amou...; passou a escuridão, o sol nasceu, a vida triunfou: Jesus Ressuscitou!"

Tempo Pascal compreende os cinquenta dias entre o Domingo da Ressurreição, sete semanas de festa, incluindo a Ascensão do Senhor e Pentecostes, quando celebramos a vinda do Espírito Santo, o grande Dom do Ressuscitado! A semana que antecede Pentecostes é dedicada à Oração pela Unidade dos Cristãos. Os domingos deste tempo retratam a experiência que os apóstolos fizeram com o Ressuscitado. A primeira leitura dos domingos deste tempo sempre será extraída dos Atos dos Apóstolos, no qual se concentra a história da Igreja nascente. Os nossos cantos devem revelar muita alegria, exultação, como se fossem um só dia festivo, "um grande domingo", segundo Santo Atanásio. É tempo de júbilo, manifestado na cor branca, flores, luzes, no Círio aceso, nos instrumentos e nos cantos, realçando o Glória - Hino de Louvor e no vibrante Aleluia, entoados ao Senhor Ressuscitado, vivo e glorioso.

Apresento a vocês como sugestão para este Tempo Litúrgico os CDs - "Cantos da Semana Santa" "Tríduo Pascal I e II", além de outros oferecidos pelo Hinário Litúrgico da CNBB.

Que Maria, a Estrela da Evangelização Pascal, nos dê a perseverança e faça de nós, os agentes das pastorais litúrgicas e da música, pessoas entusiasmadas, para que nossas celebrações e nosso canto levem todos a um verdadeiro encontro com o Ressuscitado, que em sua dinâmica de Amor, construirá a civilização mais justa, mais humana e feliz!

Abraços Pascais e Musicais!

 

ALAN PATRICK ZUCCHERATO

Contatos -  Comunidade Redentorista Nossa Senhora das Dores - Miracatu SP

(13) 3847-3478

alanzuccherato@yahoo.com.br

NEWSLETTER

INFORME SEU E-MAIL PARA RECEBER AS NOVIDADES DO NOSSO SITE

HORÁRIOS

Seg, Qui, Sex E Sab

Missas às 19h00.

Terça-Feira

Missas às 05h30, 06h30 e 17h30.
Novenas de 06h00 às 21h00.

Domingo

Missas às
07h00, 08h30, 17h30 e 19h00.

Tv Nazaré

Ao Vivo às 15h00.

Tv Marajoara

Gravado às 19h00.

Rádio Web "O Redentor"

Novenas ao Vivo das 06h00 às 21h00.
Missa de Domingo às 07h00.

Rádio Nazaré

Novena ao Vivo às 18h00.

Outras Emissoras

Novenas:
Transmissão às 12h00, 18h00
e às 19h00.